(Novas) Diretrizes p/ Atividades Complementares

Diretrizes para a validação das disciplinas “EPS7036 – Atividades Complementares A” e “EPS7037 – Atividades Complementares B”

 

  1. Sobre a disciplina “Atividades Complementares”

O projeto político-pedagógico (PPP) dos Cursos de Graduação em Engenharia de Produção Civil, Produção Elétrica e Produção Mecânica, elaborado em 2007, prevê que os acadêmicos podem realizar atividades complementares com o objetivo de complementar a sua formação.  Essas atividades, conforme previsto no PPP, são integralizadas na forma de duas disciplinas optativas, quais sejam: EPS7036 – Atividades Complementares A” e “EPS7037 – Atividades Complementares B”, ambas com 54 horas aula. Cada disciplina tem carga horária equivalente a 54 horas-aula.

O processo é solicitado pelo estudante que deve reunir certificados obtidos na realização das atividades desenvolvidas,

De acordo com recente Resolução do Ministério da Educação (Nº 5, de 17 de Dezembro de 2018), as atividades complementares podem ser definidas como:

[…] componentes curriculares que objetivam enriquecer e complementar os elementos de formação do perfil do graduando, e que possibilitam o reconhecimento da aquisição, pelo discente, de conteúdos, habilidades e competências, obtidas dentro ou fora do ambiente acadêmico, que estimulem atividades culturais, transdisciplinares e inovadoras, a critério do estudante, respeitadas as normas institucionais do curso.

Em relação a atividades inovadoras cabe salientar que, no contexto atual, aos estudantes são apresentadas opções de cursos, programas e projetos de experimentação relacionados a novas tecnologias que, muitas vezes, ainda não estão à disposição dos acadêmicos no âmbito da universidade. A título de exemplo, pode-se citar cursos oferecidos em plataformas de ensino por universidades internacionais, como Harvard, Massachusets Institute of Technology ou Berkeley University sobre temas relevantes para a formação do estudante, ou a participação em seleções de programas de propostas de novos negócios – como, por exemplo, programas de Startups – que tem despertado interesse de tantos acadêmicos. Além disso, atividades voluntárias

Com intuito de estar atento às mudanças no ambiente de ensino, a coordenação dos Cursos de Graduação em Engenharia de Produção da UFSC (Campus Trindade) acredita que tais atividades devem não somente serem validadas, mas incentivadas, como forma de enriquecer a formação do graduando, além de proporcionar melhoria no ambiente do aprendizado.

 

  1. Diretrizes

Conforme aprovado pelo Colegiado dos Cursos de Graduação em Engenharia de Produção (CCGEP/DEPS/UFSC), em 27 de novembro de 2019, as novas diretrizes especificam diversas atividades que podem ser consideradas para a validação das disciplinas “EPS7036 – Atividades Complementares A” e “EPS7037 – Atividades Complementares B”.  Tais atividades são listadas e classificadas em três categorias: atividades de ensino, extensão e pesquisa. Atividades relacionadas a administração universitária ou técnicas estão incluídas na categoria extensão.

Em cada categoria, são consideradas as atividades listadas nos quadros 2, 3 e 4 com o respectivo número de horas a serem consideradas para integralizar as horas das disciplinas.

Quadro 1. Número de horas aulas das atividades da categoria ensino.

Atividades Horas aulas Máximo de horas aulas no curso
Participação como bolsista ou voluntário em Projeto de Ensino Número de horas semanais registrada no Sigpex por semestre.

18

Participação em Programa de Ensino Tutorial (PET) 04 horas por semestre

12

Participação como bolsista ou voluntário em programa de monitoria 05 horas por semestre

15

Realização de cursos online em plataformas de ensino mantidas por Universidades sobre temas relacionados a engenharia de produção com carga mínima de 20 horas 0,20 hora por hora de curso

15

Participação em eventos nacionais ou internacionais de ensino de graduação (como palestrante, conferencista, apresentador ou participante de mesa redonda)[1] 0,5 hora por evento

06

Outras atividades em eventos na Instituição (como palestrante, conferencista, apresentador ou participante de mesa redonda)[2] 0,5 hora por atividade

03

 

 

 

Quadro 2. Número de horas aulas das atividades da categoria extensão.

Atividades Horas aula Máximo de horas aula no curso
Participação em projeto de Extensão registrado no Sigpex[3] Número de horas semanais registrada no Sigpex por semestre.

18

Participação em Cursos, presencial ou a distância, sobre temas relacionados a engenharia de produção e afins, com certificado de aproveitamento ou frequência 0,10 hora por hora de curso

10

Participação em eventos nacionais ou internacionais (como palestrante, conferencista, apresentador ou participante de mesa redonda) 0,5 hora por evento

06

Realização de Estágio não obrigatório em área de atuação relacionada com Engenharia de Produção (acompanhado de relatório de estágio analisado por professor da área) 03 horas por semestre

12

Participação em grupos de estudos ou empresa juniores e outras equipes 04 horas por semestre

12

Premiações em eventos nacionais ou internacionais e competições relacionados a atividades de extensão (desenvolvidos em equipes ou individuais)[4] 15, 12 ou 10 horas por prêmio

20

·         Participação em visitas técnicas organizada por professor e não vinculada a disciplinas curriculares

·         Participação de equipe responsável por organização de evento estadual, nacional ou internacional

·         Participação como representante estudantil nos Colegiados de Curso ou Departamento ou Conselho de Centro ou Conselho Universitário (semestre)

·         Realização ou participação de outras atividades relacionadas a formação acadêmica

0,5 por atividade

06

 

Quadro 3. Número de horas aulas das atividades da categoria pesquisa

Atividades Horas aula Máximo de horas aula no curso
Participação em projeto de Pesquisa registrado no Sigpex3 Número de horas registradas no Sigpex por semestre.

18

Apresentação de Posters ou publicação de resumo em eventos nacionais 3 horas por artigo ou resumo[5]

15

Publicação de artigos em eventos nacionais e resumos ou posters em eventos internacionais (em língua estrangeira) 5 horas por artigo ou resumo4

15

Publicação de artigos em periódicos nacionais ou capítulos de livros 10 horas por artigo4

20

Publicação de artigos em periódicos nacionais ou internacionais em língua estrangeira ou livros 15 horas por livro ou artigo4

30

Premiações relacionadas a trabalhos desenvolvidos na área de Engenharia de produção ou reconhecimento ao desempenho dos estudantes por órgãos externos (CAPES, CNPq) 15, 12 ou 10 horas por prêmio[6]

20

Participação na criação de produto tecnológico – projeto ou protótipo – com comprovante de depósito de patente 20 horas por produto

40

 

 

Caberá ao estudante a comprovação da realização de todas as atividades apresentadas para fins de validação.  Aquelas relativas a projetos no âmbito da UFSC devem ter registro no sistema Sigpex, Moni ou outros, conforme o caso.

Algumas diretrizes para orientar a análise dos processos apresentados pelos estudantes são, por exemplo:

  1. O estudante poderá realizar as Atividades Complementares da primeira à última fase de seu curso, não sendo passível de aproveitamento as atividades desenvolvidas antes do ingresso do estudante no curso.
  2. O presidente do Colegiado fará a análise dos processos e, quando necessário, consultará o Núcleo Docente Estruturante.
  3. A entrega da solicitação de validação das Atividades Complementares deverá ocorrer no mínimo 60 dias antes da finalização do semestre letivo para o caso de estudantes formandos.
  4. O estudante deverá comprovar a realização das Atividades Complementares, apresentando documentos originais relativos a todas as atividades – as cópias podem ser autenticadas na secretaria do curso.

 

Florianópolis, 03 de dezembro de 2019.

 

 

Coordenação dos Cursos de Graduação em Engenharia de Produção

Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas

Universidade Federal de Santa Catarina

Campus Universitário Trindade

 

[1] Eventos como Cobenge ou outros eventos de Engenharia de Produção, como Enegep e SIMPEP com artigos na área de Ensino em Engenharia de Produção.

[2] Declaração assinada pelo responsável.

[3] No caso de projetos, deve ser apresentado relatório final de atividade assinado pelo coordenador do projeto

[4] Se o prêmio tiver classificação, será atribuída 15 horas ao primeiro, 12 ao segundo e 10 ao terceiro lugar

[5] No caso de publicações (resumos, posters, artigos), o número de horas será dividido pelo número de autores, excetuando-se professores.

[6] Se o prêmio tiver classificação, será atribuída 15 horas ao primeiro, 12 ao segundo e 10 ao terceiro lugar e, no caso, de equipes, o número de horas da atividade será dividido pelo número de participantes, excetuando-se professores.