França

EPF École d’Ingénieurs em Sceaux

  • “Meu nome é Amanda Guimarães, estou na oitava fase de Engenharia de Produção Civil e atualmente em intercâmbio na EPF École d’Ingénieurs em Sceaux, no sul da cidade de Paris. A École fica na “periferia” de Paris, o que acaba sendo bem mais tranquilo para morar, e pegando um metrô, em 20 minutos você está no centro de Paris. A cidade onde moro é do lado da faculdade, Fontenay-aux-roses, 20 minutos a pé da faculdade ou em 4 minutos de metrô. Moro numa residência universitária que a École nos indicou. Fizemos todos os procedimentos de aluguel do studio direto com a École, mas ainda sim precisamos pagar o aluguel todo mês para o responsável da residência. Paris é uma cidade incrível, sempre tem o que fazer, não tem motivos para ficar em casa, é cheia de festivais de arte e música de graça, festas e muitos lugares turísticos e lindos para visiar, é também muito movimentada e por isso com muito turistas. Se você maior tempo no centro de Paris vai encontrar pessoas do mundo inteiro e para se comunicar lá nas lojas bem provável que te peçam em inglês. Mas se preferir ficar mais na “periferia” vai desenvolver o francês rapidinho, porque nenhum trabalhador comum, digamos assim, fala outra língua. Estou no quinto ano da École, o último ano de faculdade na França, na especialização Engenharia industrial e logística. As matérias pelo nome me interessaram muito, mas em aula, notei que eram mais superficiais do que estava acostumada na UFSC. Matérias de um semestre na Federal de Santa Catarina aqui são vistas às vezes em uma manhã. Então, mesmo já sabendo que não ia validar nenhuma matéria no Brasil, fiquei um pouco decepcionada com o ensino em geral. Entretanto a sala de aula é como se fosse de um colégio, pequena, com poucas pessoas, e eu dei a sorte de ser a única estrangeira da sala nesse semestre, então consegui aproveitar muito o pessoal para aprender o francês e me imergir na cultura deles. Estou em processo de procura de estágio agora, a École não costuma ajudar muito nesse processo, nem para os alunos franceses, então temos que nos virar mesmo, e isso é legal, aprendi muita coisa. A França está lotada de empresas e indústrias renomadas, se você fizer um esforço acaba conseguindo um estágio numa delas”.

 

INSA de Lyon

  • “Meu nome é Ana Luisa Mota Godke, sou estudante de Engenharia de Produção Civil e realizei intercâmbio na universidade INSA de Lyon, na França de 2014/2 a 2015/1. Participei do programa BRAFITEC. O INSA (http://www.insa-lyon.fr/) têm diferentes cursos e abriga muitos intercambistas de diferentes partes do mundo. Eu cursei o 5ºano de Engenharia Industrial (e mais de 60% da turma era formada por intercambistas). Fiz 6 meses de estudo e 6 meses de estágio, vinculado com a universidade – o que quer dizer que tive que entregar um relatório e fazer uma apresentação no final (com direito à notas). Durante os 6 meses de estágio eu morei na residência universitária, dentro do campus, e o pessoal foi bem prestativo – eles são bem preparados pra receber intercambistas (te ajudam até a abrir conta no banco). Tinham aulas em inglês mas a maioria era em francês. Nas primeiras 3 semanas teve um curso intensivo de francês, que foi bastante útil, porém, devemos pagar a parte. Lyon (http://www.lyon.fr/page/accueil.html) é uma cidade ótima pra se morar, muito fácil de se locomover e o clima relativamente agradável (no inverno não é tão frio). Quem quiser saber mais sobre qualquer coisa, pode entrar em contato comigo através do meu e-mail: anagodke(at)gmail.com”.